Dreadlock - Minha experiência e Desabafo

 Dreadlock em negras

Esse é um assunto que eu acho que eu nunca comentei aqui no blog, mas que eu já estava querendo falar sobre isso a muito tempo. Vocês sabem que aqui no blog eu falo sobre qualquer coisa que tenha acontecido na minha vida que foi importante pra mim ou que ainda é, se foi alguma mudança que trouxe coisas boas pra mim ou não, enfim.
Eu queria falar sobre a minha experiência com os dreads e desabafar também sobre isso, afinal esse assunto é meio polêmico no mundo da beleza.

Dreadlock

Desde sempre eu vejo que muitas pessoas ainda tem preconceito com dread, porque a nossa sociedade foi constituída com padrões de beleza antigo, e até hoje grande parte da sociedade segue esses padrões, principalmente os nossos pais e avôs.
E quando nos somos pequenos ainda dependemos muito dos pais, nos acreditamos em tudo que eles falam, nos seguimos a opinião deles achando que é o correto, e sai por ai falam pra meio mundo sobre o que você acha sobre tal coisa falando que é a sua opinião, e na verdade você não sabe de nada.
Mas quando nos cresce nos percebemos que isso é um erro e ai que começa o processo de forma a SUA opinião, e é isso que nos diferencia um dos outros e faz com que você seja único.


Quando eu tinha uns 12 a 14 anos eu não tinha opinião, eu acreditava em qualquer coisa que as pessoas me falam, se eu não ouvisse sobre tal coisa eu ficava em cima do muro sem saber se gostava ou não. E sobre dread era a mesma coisa, as pessoas diziam que era sujo, que era coisa de mendigo, de gente porca e muitas outras coisas horríveis, e eu acreditava em tudo.
E com 15 anos eu mudei muito a minha cabeça, eu comecei do zero a forma a minha opinião sobre tudo e acha o que era certo e errado pra mim. Com 16 anos eu comecei a ver muitas pessoas compartilhando coisas sobre dread, pessoas fazendo dread e eu comecei a gosta, e achei lindo essa arte e comecei a pesquisa muito sobre isso, ver o que era esse estilo.
Quando eu vi todas aquelas pesquisas eu levei um pequeno choque, porque tudo que eu pensava sobre dread a anos atrás era tudo mentira. Existe muitos tipos de dread, é limpo, tem uma história sobre esse estilo de cabelo não é só por estética ou moda que ele surgiu. Continuei pesquisando muito e gostando muito, até que eu fiz os dreads no meu aniversário de 17 anos.

Dreadlock

Eu fiz dois dreads de agulha na nuca, fiz com o meu próprio cabelo e alongamento pra deixar do tamanho do meu cabelo normal. Fazer dread é caro por isso que eu fiz apenas dois, eu paguei 30 reais em cada mais os acessórios que dependendo do material vai sair um pouco caro também.
Em questão da permissão da mamãe já que eu era menor de idade foi meio que surpresa. Eu já tinha comentado com ela que eu queria fazer e tal, só que eu falei que estava indecisa se iria ficar bom ou não, e que eu iria fazer o dread de lã porque se não ficasse bom eu não iria precisar corta o cabelo. Depois de muito tempo que eu tinha comentado, eu fui na Galeria do Rock finalmente fazer e já estava decidida que iria fazer de agulha, porém a minha mãe não sabia, então quando eu cheguei em casa ela ficou chateada óbvio mas não falou pra mim tirar, afinal eu tinha pagado do meu próprio bolso mas eu não poderia fazer mais nenhum.

Dreadlock em negras

Foi assim que eu passei um ano com o dread. Eu pensava em fazer mais quando tivesse dezoito anos mas acabou que eu não penso mais em fazer e decidi tirar os que eu já tinha. Foi uma decisão meio difícil pra mim porque os dreads eram as minhas raízes, mas apesar de gostar muito eu já estava enjoando um pouco, já não estava mais com vontade de cuidar, eu queria algo novo e já tinha combinado que iria tirar quando eu fizesse dezoito anos pra fazer algo diferente no cabelo. Porque eu acho que mudanças de cabelo são mais importantes para mim do que fazer aniversário, acho que a aparência do cabelo me muda mais do que os números. E eu demorei alguns dias pra criar coragem de cortar, mas eu já estava decidida.
Hoje em dia eu não me arrependo mas eu sinto muita saudade, principalmente nesse calor que eu amarrava o cabelo com o dread e agora quando eu não tenho algo por perto pra prender o cabelo eu passo calor haha.


No início eu recebi poucas críticas, afinal era um lugar escondido e que muitos não conseguia ver ou perceber que tinha um dread ali, mas a maioria das criticas foi dos familiares porque eu não dou liberdade pra pessoas de fora criticarem, mas sei que teve com certeza mesmo que não tenha chegado no meu ouvido.
 Eu fico muito irritada quando algum parente falava "porque você fez isso? seu cabelo era tão bonito!" ou "como a sua mãe deixou você fazer esse negócio nojento no cabelo?", eu fico revoltada só de lembrar disso porque as pessoas não respeitam os gostos de cada um, o cabelo é MEU eu faço o que eu quiser. E outra coisa que as pessoas hoje em dia fazem é associar dread a drogas, só porque uma pessoa tem dread ela pensa que a pessoa fuma maconha, usa todos os tipos de drogas e que vai te roubar, e isso é RI-DÍ-CU-LO, não é bem assim que as coisas acontecem.

Dreadlock em negras

Então resumindo, se você não gosta desse estilo de cabelo, não julgue! Se você não sabe o que é, não sabe o que significa e ouve o que as pessoas falam sobre, pesquise e conheça mais mesmo que você não gosto, mas respeite!

Foi muito bom poder desabafar e falar o que eu acho, e eu espero que as pessoas entendam o assunto e que pelo menos respeite o estilo e as pessoas que seguem isso.
Por hoje é isso, beijos!

TAG: 7 coisas

 

Essa tag esta rolando pelo meu rascunho do blog a muuuuuuito tempo porque eu tinha decidido que iria ser um vídeo, mas mudei de ideia de novo e decidi posta no blog mesmo.
Bem, eu fui tagueada pela Elís, do blog Arrumando a Bagaça, e a tag funciona basicamente assim, a cada tópico eu irei falar 7 coisas aleatórias. Eu não sei explicar direito mas vocês vão entender conforme for lendo a tag, e assim vocês vão me conhecendo melhor.
Então vamos lá!





  1. Morar fora do Brasil.
  2. Fazer algo que eu jurei que nunca faria na vida.
  3. Viajar para Las Vegas com os amigos.
  4.  Casar!
    - com direito a cerimônia na igreja, festa e tudo isso que tem em casamento haha!
  5. Pagar um mico que nem mesmo depois de morrer eu vou esquecer.
  6. Conhecer uma pessoa famosa que admiro muito.
  7. Viver


 
  1. Mano.
  2. Meu deus!
  3. Que preguiça.
  4. Que dor de cabeça!
  5. Tô com fome.
  6.  Mãe
  7. Palavrões

  

  1. Dar conselhos.
  2. Boa ouvinte!
  3. Comer.
  4. Guardar segredos.
  5. Batata-frita.
  6. Administrar.
  7. Reclamar.


 
  1. Fazer mais de 2 coisas ao mesmo tempo.
  2. Prestar atenção na mesma coisa por muito tempo.
  3. Discutir.
  4. Cuidar de crianças.
  5. Fingir
    - que estou gostando de uma coisa que na verdade eu não gosto só pra agradar alguém.
  6.  Jogar qualquer jogo de lutinha no video-game.
  7. Puxar assunto com pessoas desconhecidas em qualquer lugar.


 
  1.  Abraços.
  2. Sinceridade.
  3. Poetas.
  4. Madrugada
  5. Pessoas de palavra.
  6. Filmes e livros de fantasia.
  7. Silêncio.


 
  1. Que falem por mim.
  2. Encontrar uma peça que eu amei e que não me serviu.
  3. Pessoas curiosas.
  4. Mexer nas minhas coisas sem permissão.
  5. Desigualdade.
  6. Sair em dia de chuva
  7. Repetir várias vezes o que falei.
 A última coisa era indicar 7 pessoas para responder essa tag mas eu vou ser desmancha-prazeres e não foi indicar alguém. Sorry!
Mas se você gostou da tag e quer responder, é só falar que esta sendo tagueada por mim.

Gostei muito da tag, agora vocês sabem muito sobre mim e até eu mesma me conheci um pouco mais haha.
Beijos!

Hidratação de Babosa - Dica da Youtuber


Oi gente, 
Primeiramente eu queria saber a opinião de vocês, o que vocês acharam do layout novo??
Estou muito feliz pelo layout novo, eu vivo mudando mas prometo que dessa vez esse vai ficar por muito mais tempo, enfim...

Bem, sempre que tenho um dia livre e coragem,  eu vou para a internet procurar hidratações para testar. E numa dessas pesquisas eu encontrei essa hidratação da Gil Viana.
Já testei outras hidratações que ela já ensina no canal dela antes e a maioria são realmente boas e super fáceis de fazer
E hoje eu venho mostrar para vocês o resultado de uma hidratação que estou apaixonada, e faço sempre quando meu cabelo esta no estado crítico.



Essa virou a hidratação da minha vida!
Ela deixou meu cabelo hidratado, muito macio... Sem contar da definição que deixou meu cabelo.
Eu fiquei mais ou menos uns 5 dias usando de boa sem precisar fazer revitalização, dormia sem nenhuma preocupação de prender.

O ponto negativo dessa hidratação é que ele deixa o cabelo totalmente sem volume, fui conseguir um volume que me agradasse no 4º dia.
Outro ponto negativo (pelo menos para mim), é o cheiro da babosa. Eu sou bem fresca com cheiros e na hora de preparar o cheiro me incomodou muito mas o cheiro não fica no cabelo, graças a deus.


Fiz exatamente o que ela disse, usei os produtos que eu tinha em casa, troquei o bepantol liquido por óleo de coco e de amêndoas. Não tem nenhuma diferença, não vai mudar nada se você não usar os mesmos produtos que ela utilizou. 
No fim, condicionei com água e vinagre, como ela ensina no vídeo.

 
Espero que vocês tenham gostado, e espero que testem e comentem o que acharam.
Beeijos!